Em busca de recursos subsidiados, com taxas a partir de 4,71% ao ano? Receba GRATUITAMENTE o Manual de Captação de Recursos.

Quero Manual de Captação

Novas Taxas para 2016 dos bancos regionais de desenvolvimento – FCO, FNE e FNO

Informamos uma mudança sem precedentes, a revogação da resolução 4.452, de 17/12/2015, a partir da publicação da resolução 4.470, de 14/03/2016, com diminuição das taxas de juros praticadas pelos Bancos Regionais de Desenvolvimento.

Foram alterados os encargos financeiros das operações dos setores não-rurais (indústria, agroindústria, comércio e serviços) com recursos dos Fundos Constitucionais de Financiamento. As taxas têm validade a partir de 14/03/2016. As operações contratadas antes desta data e a partir de 1/1/16 podem ter as taxas alteradas por meio de aditivo.

Continua em vigor a resolução 4.423, do Banco Central do Brasil, de 25 de junho de 2015, no que se refere às taxas para os setores rurais, que continuam valendo até 30 de junho de 2016.

Para todas as operações, será concedido bônus de adimplência de 15% sobre os encargos financeiros acima, desde que a parcela da dívida seja paga até a data do respectivo vencimento.

A tabela abaixo realiza o comparativo entre as taxas, de 2015 até agora.

tabela_taxas_bancos_desenvolvimento

TAXAS PARA OS SETORES DE INDÚSTRIA, AGROINDÚSTRIA, COMÉRCIO E SERVIÇOS – AFETADAS PELA RESOLUÇÃO 4.470 – VALIDADE 31/12/2016

 I – No caso de investimentos fixos, inclusive com custeio ou capital de giro associado;

a) Taxa de 11,18% a.a. – para micro, pequenas, pequenas-médias e médias empresas dos setores comercial, industrial e serviços (receita bruta anual até R$ 90 milhões de reais). Com o benefício do bônus de adimplência, a taxa fica em 9,5% a.a.

b) Taxa de 12,95% a.a. para grandes empresas (receita bruta anual acima de R$ 90 milhões de reais). Com o benefício do bônus de adimplência, a taxa fica em 11,0% a.a.

II – No caso de operações com finalidade de capital de giro ou comercialização:

a) Taxa de 15,89% a.a. – para micro, pequenas, pequenas-médias e médias empresas dos setores comercial, industrial e serviços (receita bruta anual até R$ 90 milhões de reais). Com o benefício do bônus de adimplência, a taxa fica em 13,5% a.a.
b) Taxa de 18,24% a.a. para grandes empresas (receita bruta anual acima de R$ 90 milhões de reais). Com o benefício do bônus de adimplência, a taxa fica em 15,5% a.a.

III – No caso de operações destinadas a financiamentos de projetos de ciência, tecnologia e inovação:

a) Taxa de juros de 10,00% a.a. Com o benefício do bônus de adimplência, a taxa fica em 8,5% a.a.

TAXAS PARA O SETOR RURAL – AFETADAS PELA RESOLUÇÃO 4.423 – VALIDADE 30/06/2016

I – No caso de investimentos fixos, inclusive com custeio ou capital de giro associado;

a) Taxa de 7,65% a.a. (6,5% a.a. com bônus) – para micro, pequenos, pequenos-médios e suas cooperativas;
b) Taxa de 8,53% a.a. (7,25% a.a. com bônus) – para médio produtores rurais e suas cooperativas;
c) Taxa de 10,00% a.a. (8,5% a.a. com bônus) – para grandes produtores rurais e suas cooperativas.

II – No caso de operações com finalidade de custeio, capital de giro ou comercialização:

a) Taxa de 8,82% a.a. (7,5% a.a. com bônus) – para micro, pequenos, pequenos-médios e suas cooperativas;
b) Taxa de 10,29% a.a. (8,75% a.a. com bônus) – para médio produtores rurais e suas cooperativas;
c) Taxa de 12,35% a.a. (10,5% a.a. com bônus) – para grandes produtores rurais e suas cooperativas.

III – No caso de operações florestais destinadas ao financiamento de projetos de conservação e proteção do meio ambiente, recuperação de áreas degradadas ou alteradas e desenvolvimento de atividades sustentáveis:

a) Taxa de juros de 8,53% a.a. (7,25% a.a. com bônus)

Comentários do Facebook